Fúria desorientada

29 09 2010

RRRRRRAAAAAAAAAAAWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!

Estou com uma vontade de rugir… Rugir MESMO! Que nem uma fera bestial e descontrolada! Não me interpretem mal. Não estou querendo dar uma de “bicha histérica” e sair gritando por aí. Nos últimos dias, o pessoal tem me tirado do sério. Não estou afim de dar satisfações. Não estou afim de piadinhas. Não estou afim de que me questionem. Estou afim de que me deixem em paz, pelo menos por uma semana!!!!! E não estou falando isso porque estão me pressionando a dizer que sou gay nem nada. Digo isso tudo porque gostaria de ficar a sós com meus pensamentos para colocá-los no seu devido lugar. A faculdade me atrapalha, mas nem tanto quanto minha mãe. Oh, shit… Parece que ela deu pra questionar tudo o que eu falo, ter um contraponto pra tudo o que eu digo. EU SEI que ainda sou imaturo pra compreender uma série de coisas que estão ao meu redor.

“Ah tá, um ‘adultescente’ que sabe que é imaturo… essa é boa…!”.

Sim, caro leitor, eu sei que sou imaturo, principalmente porque me auto-conheço muito bem. Eu sei que sou maduro pra lidar com uma situação quando faço as coisas calma e calculadamente, quando tenho domínio da situação ou do contexto específico. Acredito que isso seja ser maduro. Ter domínio, saber o que está fazendo. Em muitos momentos da minha vida atual, eu vejo a imaturidade nua e crua. Não faço ideia da sinuca de bico em que estou me metendo. Foi assim quando aceitei minha homossexualidade, achando que ia ser oba-oba por ter me aceitado, quando decidi procurar um namorado pela internet, quando decidi escolher uma faculdade que se situa num universo completamente diferente do meu. Muitas vezes, eu me sinto perdido e furioso, e o pior é que me sinto um pouco desamparado. Nessas horas eu sinto falta da figura masculina dentro de casa, mas… whatever… Agora estou em busca de outra figura masculina, se é que me entendem. Sei que, provavelmente, não vai ser capaz de preencher a lacuna completamente, contudo, se eu tiver um homem forte em quem eu possa me amparar, frisando o sentido da palavra “amparar” em “ajudar, auxiliar, dar conselhos” e não “amparar” de “oferecer um ombro amigo pra chorar as pitangas”.

Enfim, acho que esse desabafo não passa de uma revolta por falta de um abraço gostoso de um macho e um cafuné, ou seja… carência…

Filhote Solitário

Anúncios

Ações

Information

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: