Closets are for clothes!

26 12 2010

Imagino que já deduziram a finalidade do post, não é? Focarei mais na minha história, que é um tantinho longa…

Por onde começarei… Hum… A primeira desconfiança…

12 anos, criança inocente ainda, mas que já começava a fazer as traquinagens sozinho. Ainda descobrindo o que diabos era aquele negócio de “bater punheta” que os meninos da turma tanto comentavam… Primeiro só com a imaginação, depois de um tempo comecei a caçar revistas comuns como Caras e Veja, procurando por mulheres de biquini e tal, logo que ouvia os meninos comentarem de gostosa X e gostosa Y pra lá e pra cá… Até que um dia, numa padaria, eu comprei uma revista pornográfica. Sim, uma revista pornográfica foi vendida a um garoto de 12 anos. Não tenho nenhuma vergonha mais em dizer isso, mas na hora… Fiquei tão vermelho quanto um tomate… E não era Playboy, nem Sexy, mas uma revista cujo idioma eu não fazia ideia de qual fosse e que continha imagens de sexo. Até aí tudo bem… um garoto comum… Mas eu começava a prestar atenção mais nos caras do que nas mulheres, inconscientemente, dizendo mentalmente “um dia quero ser que nem esses caras… pegar essas gostosas”… Eu era um moleque muito solitário e tímido (até hoje sou tímido), e como todos sabem, os tímidos sempre são os piores… hehehe

Chegou-me então aos ouvidos que existia um tal de “Cine Privê” na Band… E como eu tinha um super video-cassete “mudérníssimu” de 7 cabeças e que tinha como programar pra gravar canais e etc, comecei a gravar… Como sempre, prestava mais atenção nos caras… Até que comecei a me iludir de forma diferente… Tinha uns livros com fotos da Keystone, e um em especial tinham vários homens de diversas formas e tamanhos, e muitos com pouca roupa… Iludia-me com um “vou ser que nem esse cara… fortão e tal…”

Algum tempo depois me foi apresentado o primeiro filme pornô (porque convenhamos… Cine Privê é “blargh” nesse quesito). E por ironia do destino, tinha um negão… O negão, se é que me entendem… O filme ficou comigo por muito tempo, e eu só assistia a cena do negão, e prestava atenção demais no “objeto” dele… Foi aí que eu comecei a me questionar… Confuso, sabia que sentia tesão, mas não achava normal. “Meninos são pra gostar de meninas, certo?… Ou será que não… Será que sou anormal?” eram meus pensamentos mais comuns, naquela época…

Meses depois desse fato, encontrei uma revista de academia no salão de cabelereiros onde uma das minhas tias trabalhava e… surrupiei ela de lá. Homens bombadões… Adorava me masturbar olhando para eles (e adoro ainda)… “mas era errado!”. Cometi o grande erro de recortar algumas das imagens e esconder no topo do box do banheiro, pra não ter que ficar carregando a revista pra lá e pra cá. Como ninguém enxergava nada ali, estava tranquilo… Até que um belo dia minha mãe resolveu limpar lá, coisa que nunca tinha visto ser feita…

Mãe: Filho… eu quero conversar com você…
Filhote: O que é, mãe?
Mãe: Eu encontrei essas fotos no banheiro… O que elas estavam fazendo lá? *mostra as fotos dos bombadões*
Filhote: Err… bem… eu… (ai, caralho… tô fudido… como vou explicar isso??? OMG!)
Mãe: Me diz o porquê! *tom calmo*
Filhote: Bom… é que eu… tenho feito exercícios na escola e… fico me admirando no espelho… aí peguei essas imagens pra mim comparar, mas acabei esquecendo lá… Eu quero ser que nem esses caras, mãe…
Mãe: Ah… é mesmo? De verdade?
Filhote: É…
Mãe: Então vai ter que começar a parar de comer tanta bolacha com leite… haha

Whew… por pouco não?

Bom… prosseguindo mais um pouco, até uns 14 anos. Esse tempo todo eu me torturei com aquele pensamento de “isso é errado, mas é só uma fase”. Até que resolvi andar com uns caras + pegadores e tentar beijar algumas garotas na porta da escola, à tarde… Bom… Não durou muito tempo… Uns 2 beijos depois eu entrei numa fase difícil, em que eu me isolei de tudo e de todos, tirando alguns amigos, e me concentrei nos estudos… “Assexuei-me” completamente até os 16 anos, que foi a época que tive acesso à internet em casa, pois até então só tinha usado LAN Houses…

Tirando os jogos, eu às vezes pesquisava um pouco de pornografia e talz… até que estava entrando só na seção gay nos “porno tubes” da vida… Um belo dia caí na besteira de baixar um vídeo… E como o PC era do meu tio… ele viu e contou à minha mãe.

Mãe: seu tio me contou que você baixou um filme pornô gay no computador dele… Isso é verdade?
Filhote: sim, mas…
Mãe: Filho, você é gay? (1ª vez)
Filhote: … Não, mãe… foi só um engano besta… Achei que fosse um anime e baixei… Confundi o nome… E não dava pra ver a preview do vídeo no site…
Mãe: Preview? Que isso?… *trechos desinteressantes*

Mais tarde… numa conversa informal pós-churrasco… Estávamos num assunto sobre homossexualidade e outras coisas, pois descobriram que um primo distante meu era gay. Já tinha meus 17 anos.

Mãe: … Ah… sei lá como eu reagiria se isso acontecesse comigo.
Tia 1: Bom, Mãe, você teria que reagir normalmente, né? Afinal, é seu filho. Fico com pena daquelas mãe que enxotam os filhos assim que descobrem o que os filhos são.
Tia 2: Você fala isso porque não é seu filho. Duvido que você aceitaria…
Tia 1: Claro que aceitaria… eu acho…
Mãe: Bom, eu não preciso me preocupar, mas vou fazer o teste. Filho, você é gay? (2ª vez)
Filhote: (WHY IN THE HELL ELA ESTA PERGUNTANDO ISSO PRA MIM????!!!) *cara hiper-supresa* … Eu? Claro que não! E mesmo se fosse, não contaria agora no meio de todo mundo… *vai pra casa*

Mais impreciso, impossível né?

Bom… a partir daí fiquei bastante paranóico com o que eu fazia no PC, já que tinha o meu próprio. Não deixava minha mãe ver minhas conversas, nem ver o que eu estava lendo. Pra ela, eu só mexia pra fazer trabalho, assistir desenho e jogar. Até que surgiu esse maldito personagem nessa novela xexelenta. E depois da confissão dele… Ha! Meus problemas só pioraram, pioraram… pioraram…………. Até que ontem, 2 e pouca da manhã, eu com fone no ouvido, vendo sacanagem na internet… não escuto minha mãe levantar do quarto dela e abrir a porta, que dá direto pra sala. Guardei minhas “coisas”, dei Esc e desliguei o monitor…

Mãe: credo! Que é que você tava fazendo aí que não posso ver? Tá parecendo o Gerson já!
Filhote: *imóvel, mudo, com cara de WTF, misturado com OMG*

Minutos depois, eu fui dormir.

No café da manhã de hoje, o assunto veio à tona quando minha irmã saiu da mesa.

Mãe: Eu ainda não entendi o que você tanto esconde naquele computador…
Filhote: Só minhas conversas, meus vídeos…
Mãe: E precisa dar uma de Gerson pra esconder isso? Tô ficando preocupada…
Filhote: Não é nada, mãe… É que só quero ter privacidade…
Mãe: Humm… tá… Por acaso você é gay e não quer me contar? (3ª vez)
Filhote: Não, mãe, não é isso…
Mãe: Olha, seja o que for que você tá escondendo, é chato você fazer isso. Poxa vida, a gente mora na mesma casa e você não compartilha nada comigo? Parece que estou vivendo com um completo estranho!
Filhote: Mãe, não precisa de tanto drama…
Mãe: Filho, você tem que entender que eu sou sua mãe, e que não precisa esconder nada de mim. Não importa o que seja, você vai continuar a ser o meu filho e eu vou continuar te amando como sempre te amei…
Filhote: *silêncio* (oh shit… apelou…)… Mãe, quer saber de uma coisa?
Mãe: O quê?
Filhote: Eu sou gay. *murmurando*
Mãe: Eu desconfiava… *murmurando*

*hugs*

Eu juro… juro… juro que não imaginava que seria tão de boa assim. Acho que isso, pra mim, foi tão melhor do que ganhar na loteria… Tirou-me um peso gigantesco das costas… E apesar da minha mãe ainda se preocupar comigo mais ainda, ela está feliz porque eu fui sincero com ela… Mas ela tem que aprender muito… muito mesmo… Acho que vou apresentar o Mãe, Sou Gay pra ela mais cedo do que eu esperava, já que ela até me perguntou se não havia nenhuma mãe de filho gay aí pela internet que tivesse um site… Custa nada né?

Bom… assim me despeço dessa minha fase de esconder as coisas e partirei pra sinceridade. Meu “closet” era somente a minha mãe. O resto eu não tenho vontade de contar. Se descobrirem, não fui eu que contei, e se descobrirem… pra mim não faz a menor diferença. Minha mãe era quem realmente importava e quem continua importando.

Jovem Urso

P.S.: Pelo visto, mesmo eu detestando o Natal e querendo me juntar ao Lobo, ao Voy e ao Braccini no “Manifesto Anti-Natal” (XD), o Ursão Noel foi generoso comigo no presente, apesar do atraso… hehe

Anúncios

Ações

Information

15 responses

26 12 2010
Rolando

Poxa que bacana tu sair do armário assim pra sua mãe, aqui em casa foi mais ou menos parecido, começou com umas pornografiazinhas no computador que meu pai pegou e viu e depois com questionamentos da minha mãe, mas no fim eu me assumi e agora é de boa na família, meus irmãos e minha mãe sabem e levam na boa, é bem tranquilo! Não teve muito drama.

26 12 2010
Ally & Gaby

que lindo que ela agora sabe, parabéns!!

27 12 2010
voyeur

ai que coisa!!! foi tenso, mas foi fofo… i know!
eu ainda nao fiz meu outing pra mamis. moramos em cidades diferentes, eu tenho minha vida cá, sou independente e talz, mas morro de vontade de falar p ela. acho q deve acontecer logo. vou passar o reveillon c ela, provavelmente sozinhos ate dia 2/01. sera?

bjs do voy

27 12 2010
James

Opa, boa noite! Primeiro comentário por aqui, mas já acompanho o seu blog há um tempinho. Parabéns pela saída do armário – Certamente, esse foi um evento muito importante, e pode crer que foi só o começo. Boa sorte nessa nova fase da sua vida!

27 12 2010
Edu

SUPIMPA!!! Apresente o blog pra ela sim, vai fazer bem! E agora você pode ir lá em casa dizendo que vai tomar um café com um bando de viado, olha só… Pode até trazer ela junto! 🙂

Beijo!!

27 12 2010
FOXX

que bonitinho, qrido
que bom!
fico mto feliz por vc
mto feliz.

27 12 2010
Paulo Braccini

Uala! Supimpa isto … parabéns …

Um 2011 Genial para vc querido …

bjux

😉

27 12 2010
Freddie Butterman

CARA! QUE ÓTIMO!

Que bom que tudo foi tão tranquilo e em paz! Imagino o quão mais leve você deve estar! Enfim, que tudo dê super certo a partir de agora e com o apoio da tua mãe, o que é mais importante!

Abraços.

28 12 2010
Lobo

Não se junte a nós enquanto puder.

O maior desejo daqueles que seguem nas trevas, é que aqueles que vivem na luz nunca precisem conhecê-la (as trevas). Ninguém merece passar pelo lado ruim das coisas, então enquanto as coisas boas continuarem acontecendo e o Natal lhe for uma época que proporciona coisas boas, conserve.

Sempre bom ver quando uma história acaba bem…

Um beijo proce!

28 12 2010
@bearintrance

Filhote, prometi e li o post! Arrasoooooou! Adorei ler esse post, e como te disse no MSN, é como se o cara tirasse um piano de cima das costas ao se abrir para a família né? Mais uma etapa se passa e que o bom é que foi legal e tranquilo..

Lá em casa não foi bem assim.. hehehe. Eles logo pegaram uma cartinha de um namorado meu, super afetiva e a-pi-men-ta-da! (me chamava de urso e tudo.. aloka! Isso eu tinha 16 anos). A conversa foi super difícil! Eles sabem.. é impossível não saberem, embora ainda não saiu da minha boca “Eu sou gay!”

Deixa eu contar uma coisa engraçada. Agora há poucos dias estava em casa, indo para a praia, coloquei os óculos de sol de minha mãe brinquei: mãe vou pra praia com ele (kkkk) ela olhou e disse: esse óculos é de mulher menino.. eu disse: eu sei! e completei: EU SOU RYYYYCA! Minha mãe começou a rir, tranquila.. kkkkkkkkkkk!

BAYJOS!

29 12 2010
Jose Carlos Junior

Como nós dizemos em hebraico Mazal Tov!Espero que 2011 seja repleto de alegrias e ótimas surpresas p vç.Um mega bjo.

1 01 2011
Mau

Feliz 2011, Ursinho! Edu e Mau lhe mandam um beijão!

1 01 2011
Júlio César Vanelis

Cara, encontrei seu blog no do Edu… E olha que surpresa, fui ler logo o post do seu outing… Cara, não pde deixar de me identificar e de me emocionar. Eu tbm sou Urso, só que meu outingo demorou dois anos entre o começo e o fim. Vc escreveu tudo com tanta franquesa, sem medo, que tem coisas que eu não sei se teria coragem de escrever no meu blog (pelo menos não se estivesse no seu lugar). Sério, seu blog foi uma grande e feliz surpreza, Adorei!!!

Um beijo cara… Até o próximo!!!

1 01 2011
Júlio César Vanelis

Ahh, claro, Feliz 2011!!!

Caso tenha curiosidade, vou deixar o link do meu blog…

http://semcortesesemedicao.blogspot.com/

Mais um beijo… rs

3 01 2011
DPNN

Cara, eu nunca precisei contar, acho que perceberam por conta própria, ou não. Realmente não faz diferença pra mim. Nunca neguei, quem quiser saber, é só me perguntar. Se não quiser saber, não pergunte…kkk

O começo da narrativa também aconteceu comigo, mas eu não tinha certeza de que era gay, pois sempre me apaixonava por mulheres, por homem era só atração física mesmo. Foi só quando eu me apaixonei por outro cara que eu vi que dava para ter as duas coisas ao mesmo tempo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: