Floresta dos Meus Sonhos

9 01 2011

E então eu me deparei com a visão daquela floresta, que sempre aparecia nos meus sonhos, porém, desta vez, ela não era turva e distorcida. Eu a via com meus próprios olhos.

Meu coração batia forte. Afinal, eu tinha esperado 18 anos da minha vida por aquele momento, que tanto sonhei, idealizei. E tinha sido melhor do que eu podia imaginar. Melhor, mais forte, mais intenso…

Foram os melhores minutos da minha vida até agora, e espero que minutos como esse se transformem em horas e dias e aconteçam novamente.

Eu não estava nem aí pros carros que passavam do lado de fora da cerca do parque, muito menos com os corredores que vez ou outra passavam por ali perto. Era o meu momento. Meu momento e do Pianista…

Só sei que agora passo o dia relembrando daqueles beijos…

Jovem Urso

P.S.: Eu ia postar isso na sexta à noite, mas acabei deixando pro sábado e adiei pra hoje, finalmente. Não consegui postar antes porque estava demasiadamente extasiado com meus sentimentos. Demorei pra conter essa sensação dentro de mim, visto que mosquei 90% do dia de ontem (ou seja, um Epic Fail Day, mas não estava nem aí)… hehehe.

P.S.2: Por causa do  mesmo motivo e de um pouco muita ansiedade pelo encontro eu não comentei muito nos blogs alheios, desde meu último post. Gomen nasai… xD





A Saga do Filhote Solitário – Parte 2

25 11 2010

Bom, agora que terminei meus trabalhos e deixei alguns leitores putos de raiva porque prometi um post no domingo ou na segunda-feira… eu postarei a parte 2 da minha saga, finalmente…

Onde estávamos?… Ah sim, minha fugida ao CineSesc. O 1º encontro da minha vida, que emocionante… hehehehe.

Resolvi deixar a minha faculdade por um dia e sair pra espairecer com um cara muito especial que conheci na internet. Chamarei-o de… Pianista, por razões que você pode deduzir sozinho… XD

Eu estava nervoso que só… Durante todo o caminho eu fiquei pensando em coisas do tipo “ai, será que ele vai gostar de mim pessoalmente?”, “tô bem vestido?”, “eu tô dando muita pinta de que vou a um encontro com um cara?” e todo o tipo de coisa que um inexperiente em todos os sentidos pode pensar. Foi a viagem de 1 hora e 20 minutos mais longa da minha vida. A cada estação que ficava para trás, meu coração dava uma batida mais forte e eu pensava “tá chegando… tá chegando…”. Exatamente na estação Domingos de Moraes, passou pela minha cabeça… Estaria eu me apaixonando por alguém que nunca vi pessoalmente? Será que não estava me precipitando demais e talvez eu devesse pegar o trem no sentido contrário e voltar pra casa e dar o meu primeiro bolo?… Confuso, cheguei até a me levantar no trem e caminhei em direção da porta, mas felizmente ela se fechou antes e meus pensamentos voltaram ao normal. Meu nervosismo diminuiu bastante depois disso. Continuei, então, minha viagem até a Consolação. Tinham + 3 baldeações a serem feitas… Morar no c* do mundo dá nisso… hahahaha

Cheguei alguns minutos atrasados. 17.07… Será que o Pianista já tinha chegado lá? Combinamos de nos encontrar na catraca da estação e lá fiquei esperando ver o rosto dele entremeio à multidão. Longos minutos se passaram… até que…

“Filhote? Filhote!”

O Pianista estava me esperando do outro lado da catraca e eu não tinha visto. ^^”. Nos cumprimentamos e caminhamos até o CineSesc. Conversamos bastante. Eu estava bastante tímido e ele também estava um tanto nervoso. Compramos os ingressos e aguardamos até que a sessão do filme começasse. Disse eu ao Pianista que nunca tinha estado num lugar que tivesse tanto gay/m², muito menos em um que tivesse tanto bear/m², xD.

Durante a sessão do filme, não trocamos muitos olhares. Queria que ele pegar na mão dele, mas estava muito acanhado pra fazer isso. Pareço criança, não?, mas quem nunca esteve numa situação parecida com essa? Deixei, então, minha mão dando sopa no apoio da poltrona durante algum tempo. Percebi que ele se mexia bastante durante  a sessão, mas nunca fazia nenhuma aproximação… (só depois o Pianista me contaria que estava em cólicas pra pegar na minha mão, mas estava com vergonha).

O filme acabou. Avaliamos Bear City com nota 5. Dirigimo-nos para o Habib’s. O Pianista não tinha almoçado e já estava meio esfaimado, pois já eram mais de 20 horas. Conversamos um pouco mais sobre nossas experiências e sobre nossos desejos. Confessei a ele que minha fantasia sexual preferida foi ficar com um cara branco, de +- 50 anos, grisalho, mais alto e mais cheinho do que eu, que usasse óculos e professor… Combinação bem difícil de ser encontrada, não? hahaha. Papo vai, papo vem, pedimos a conta. Eu ia pagar a minha parte, mas ele não deixou. Fiquei todo sem jeito… não estou acostumado a pagarem as coisas pra mim (exceto minha mãe, mas…). Eram mais de 21.30. Não tinha mais muito tempo junto dele, afinal, eu tinha que estar em casa no horário da faculdade pra que a minha desculpa colasse (2 professores estavam participando de bancas de TCC, então não ia ter quase aula, então eu e meus colegas resolvemos ir ao bar desestressar um pouco… [not!] e que voltaria cedo).

A estação do metrô estava próxima… Teria que me despedir logo… e estava curtindo tanto a presença dele… a atenção que ele me dava quando eu falava… Eu até perguntava se eu estava falando muito e ele dizia que não, que adorava gente pra frente que nem eu e que gostava de me ouvir (e pior que eu estava falando pra cacete… nervosismo…). O Pianista então sugeriu que fôssemos até a estação Trianon-MASP andando, já que estávamos na Paulista mesmo.

No caminho, nossas mãos se esbarravam com frequência, mas eu não tinha coragem de agarrar a mão dele em público… Ainda mais com aquela notícia que havia corrido por aí… Conversamos mais um pouco…

Filhote: Ah, Pianista, me desculpa pela timidez.
Pianista: Que isso… Não se preocupa com isso.
Filhote: É que não queria estragar o encontro… Não gosto de ir muito rápido, acho que tudo fica tão banal quando acontece rápido demais e… bom você sabe, né?
Pianista: Pois é…
Filhote: Acho um saco quando duas pessoas se sentem atraídas uma pela outra, perguntam “vamos foder?” e depois no dia seguinte dão tchau e nem sabem o nome uma da outra. Pra mim, mesmo que não esteja procurando algo fixo, tem que ter rolado uma conversa antes e tal… Porra, não vou sair dando ou comendo qualquer um que me aparece por aí…
Pianista: Isso é verdade… Vejo muito isso nas baladas…
Filhote: Ah é, você é pegador…
Pianista: Que nada…
Filhote: hahahahaha

Acabamos por caminhar até a estação Brigadeiro. De lá, ele me acompanhou até a Barra Funda, até que pegasse meu trem. Com um sorriso e um aperto de mão, eu me despedi… Mas eu queria mesmo era ter abraçado e beijado ele ali, no meio da multidão… Só que minha moral e minha timidez repeliram essa atitude.

O encontro ficou com um gostinho de quero mais…

Nos encontramos de novo na segunda-feira (22). Ele me fez a gentileza de trazer um pacote de papel sulfite que tinha na casa dele, pra que eu não precisasse comprar pra terminar os meus trabalhos, e aproveitamos para dar um passeio pelos arredores do Mackenzie. Começou a chover… Eu estava de guarda-chuva e perguntei se ele não queria que eu o acompanhasse de volta pra estação, já que ele estava sem. O Pianista disse que não, mas eu queria levá-lo, não ia atrapalhar… (depois fiquei sabendo que a chuva engrossou e ele quase escorregou no meio do caminho… fiquei c/ a maior culpa do mundo… ‘-‘).

Com esses dois encontros, + nossos papos no MSN, concluo que estou me apaixonando pelo Pianista…

Bom… fico por aqui… Depois posto a parte 3… a maldita faculdade não me permite… E lá vai o Mackenzie atrasando a vida dos gays e dos armariados, xD

 

Filhote Solitário

 





Quando ficaremos juntos…?

24 09 2010

Olhei fundo nos teus olhos. Pude perceber tudo o que queria fazer comigo, tudo o que queria viver comigo e vi refletido neles os meus próprios olhos, e reparei que o que eles refletiam a mesma coisa que eu via em seus olhos. Seu olhar me transmitia calor, segurança, carinho e, mais importante, amor. Não conseguia parar de te encarar. Parecia estar em transe…

Seus ombros eram largos e seus braços eram fortes. Desejava um abraço longo e apertado… Sentiria-me protegido e não precisaria de mais nada naquele momento pra ser feliz. Teu sorriso parecia tão resplandescente quando espontaneamente surgia por entre a sua barba cerrada. Era tão mágico quanto ver uma aurora despontando no céu límpido e escuro dos pólos do planeta.

Sua voz me encantava também, uma voz grave e forte, e você falava de um jeito cantante, melodioso, que me deixava cada vez mais hipnotizado. De repente senti o calor da sua mão grandiosa envolvendo a minha, que também não era nada pequena. Fitei mais uma vez seus olhos castanhos claros e me perdi naquela imensidão…

Nossa… Se isso tivesse acontecido de verdade… Seria tão bom… Pena que foi só mais um devaneio dessa minha fase carente. Fico tão propenso a ser abraçado, beijado, encantado por outro urso… Pena que tenho que ainda tenho que dar umas reprimidas nisso, senão acabo ficando que nem uma garotinha sonhadora, =P

Aiai, quando meus devaneios se tornarão realidade… Quando ficarei junto do meu tão esperado homem…?

Filhote Solitário





Carência…

14 09 2010

Nossa, como tenho estado carente nesses ultimos dias… Ainda mais depois que entrei na faculdade. São Paulo é uma cidade imensa e bem diversificada, como todos sabem, e, como faço faculdade à noite na região da República, que tem vários bares e baladas GLS, sempre acabo vendo gays e etc. Mas me deixa carente quando vejo dois ursos juntos… Ai… Fico imaginando quando encontrarei o meu…

Todavia, como disse no meu post anterior, eu não tenhos atrativos senão a estética, e me parece que os ursos exigem bastante disso. Posso estar enganado, mas isso me motiva a ser uma pessoa melhor e mais, digamos, culta (não no sentido exato da palavra).

E, nesses ultimos dias, tenho reparado muito no físico de homens que eu falo “hum, queria um desses pra mim”, independendo se os conheço ou não, se os acho gay ou não. O pior é que não tenho conseguido ser lá muito discreto… Agora eu já não vejo mais tanto defeito nessa peculiaridade masculina de ficar observando algo “interessante” de maneira indiscreta. Às vezes pode não ser só pelo interesse sexual que sentimos, mas como se desejássemos ter uma pessoa daquelas por perto, nos tornarmos mais íntimos e ter aqueles momentos “açucarados” (trocar palavras amorosas, carícias, abraçar, ficar lá parado, só curtindo a presença do outro e afins)…

O ruim de sonhar tanto com esse momento, é que acabo tendo alguns sonhos à noite que acabam sendo muito bons, deixando aquela sensação de “ah… não queria que acabasse…”, ou alguns que de certa forma são indesejáveis pra mim. A exemplo disso, posso citar um sonho que tive com meu melhor amigo, noite passada. Nos meus padrões, ele é um cara bastante atraente, é gente boa e nós conversamos muito. Ele é heterossexual, tem namorada e também sou muito amigo da namorada dele. Eu simplesmente odeio, ODEIO quando eu sonho que estou num desses momentos açucarados com ele. Por quê? Ora, tenho algumas experiências ruins de amor platônico, e esse se enquadra no pior tipo, naquele amor que eu não posso e não quero investir, mas que não sai da minha cabeça. Confesso que já quis muito ter um lance com ele, mas, devido às circunstâncias, decidi “matar” essa paixonite e partir pra outra. Mas… cadê a outra??? >_<

Ai… só espero que consiga resolver esses meus enroscos com faculdade, grana e residência, porque olha… Tá difícil de “sair à caça” sem ter a minha independência…

Filhote Solitário





Ansiedades…

4 09 2010

Ultimamente tenho estado numa ânsia que só pra fazer várias coisas. Quero desenhar melhor e mais rápido, quero arranjar um emprego logo, quero ter meu dinheiro pra poder comprar minhas coisas e sair, quero morar fora de casa pra me sentir mais livre… Sem falar na ansiedade imensa de transar e ter algo a mais com um cara.

Eu sei que não sou o único gay no mundo e que perto de mim existem vários e que se eu quisesse já teria feito isso há muito tempo. Mas… os valores da sociedade ainda estão imbuídos no meu caráter. Ainda tenho aquele sonho de amor fiel e duradouro, que irei conhecer meu “urso ideal” (porque príncipe encantado eu deixo pra quem gosta de homem-forma, perfeito) e viverei feliz para sempre com ele. Sei muito bem que isso é possível, mas eu não quero mais essa relação tão perfeita e monótona ou, como diria uma professora da faculdade, “bege”, equilibrada, que não desperta nenhuma emoção extrema.

Dentro de mim existe uma fera esperando pra ser domada, ou domar outra fera maior ainda. Eu não quero uma relação morna, previsível, entretanto não quero uam relação cheia de altos e baixos como um sismógrafo na cordilheira dos Andes. Quero uma relação em que haja sincronia, romantismo e, é claro, “muito fogo” com meu homem.

Ahh… Eu já estaria a procura dele… Se já tivesse me assumido, arranjado um emprego e me estabilizado fora de casa, com certeza já estaria à procura. Sem contar um pequeno probleminha que tenho (um dente supranumerário indesejável) que me incomoda muito e que, imagino, me atrapalharia na hora de fazer… outras coisas, se é que me entendem, hehe.

Vou tentar conter um pouco essa ansiedade. Eu sei que ela vai passar quando tudo estiver resolvido na minha vida. Bom, tudo o que quero resolver, pelo menos.

Filhote Solitário








%d blogueiros gostam disto: