Closets are for clothes!

26 12 2010

Imagino que já deduziram a finalidade do post, não é? Focarei mais na minha história, que é um tantinho longa…

Por onde começarei… Hum… A primeira desconfiança…

12 anos, criança inocente ainda, mas que já começava a fazer as traquinagens sozinho. Ainda descobrindo o que diabos era aquele negócio de “bater punheta” que os meninos da turma tanto comentavam… Primeiro só com a imaginação, depois de um tempo comecei a caçar revistas comuns como Caras e Veja, procurando por mulheres de biquini e tal, logo que ouvia os meninos comentarem de gostosa X e gostosa Y pra lá e pra cá… Até que um dia, numa padaria, eu comprei uma revista pornográfica. Sim, uma revista pornográfica foi vendida a um garoto de 12 anos. Não tenho nenhuma vergonha mais em dizer isso, mas na hora… Fiquei tão vermelho quanto um tomate… E não era Playboy, nem Sexy, mas uma revista cujo idioma eu não fazia ideia de qual fosse e que continha imagens de sexo. Até aí tudo bem… um garoto comum… Mas eu começava a prestar atenção mais nos caras do que nas mulheres, inconscientemente, dizendo mentalmente “um dia quero ser que nem esses caras… pegar essas gostosas”… Eu era um moleque muito solitário e tímido (até hoje sou tímido), e como todos sabem, os tímidos sempre são os piores… hehehe

Chegou-me então aos ouvidos que existia um tal de “Cine Privê” na Band… E como eu tinha um super video-cassete “mudérníssimu” de 7 cabeças e que tinha como programar pra gravar canais e etc, comecei a gravar… Como sempre, prestava mais atenção nos caras… Até que comecei a me iludir de forma diferente… Tinha uns livros com fotos da Keystone, e um em especial tinham vários homens de diversas formas e tamanhos, e muitos com pouca roupa… Iludia-me com um “vou ser que nem esse cara… fortão e tal…”

Algum tempo depois me foi apresentado o primeiro filme pornô (porque convenhamos… Cine Privê é “blargh” nesse quesito). E por ironia do destino, tinha um negão… O negão, se é que me entendem… O filme ficou comigo por muito tempo, e eu só assistia a cena do negão, e prestava atenção demais no “objeto” dele… Foi aí que eu comecei a me questionar… Confuso, sabia que sentia tesão, mas não achava normal. “Meninos são pra gostar de meninas, certo?… Ou será que não… Será que sou anormal?” eram meus pensamentos mais comuns, naquela época…

Meses depois desse fato, encontrei uma revista de academia no salão de cabelereiros onde uma das minhas tias trabalhava e… surrupiei ela de lá. Homens bombadões… Adorava me masturbar olhando para eles (e adoro ainda)… “mas era errado!”. Cometi o grande erro de recortar algumas das imagens e esconder no topo do box do banheiro, pra não ter que ficar carregando a revista pra lá e pra cá. Como ninguém enxergava nada ali, estava tranquilo… Até que um belo dia minha mãe resolveu limpar lá, coisa que nunca tinha visto ser feita…

Mãe: Filho… eu quero conversar com você…
Filhote: O que é, mãe?
Mãe: Eu encontrei essas fotos no banheiro… O que elas estavam fazendo lá? *mostra as fotos dos bombadões*
Filhote: Err… bem… eu… (ai, caralho… tô fudido… como vou explicar isso??? OMG!)
Mãe: Me diz o porquê! *tom calmo*
Filhote: Bom… é que eu… tenho feito exercícios na escola e… fico me admirando no espelho… aí peguei essas imagens pra mim comparar, mas acabei esquecendo lá… Eu quero ser que nem esses caras, mãe…
Mãe: Ah… é mesmo? De verdade?
Filhote: É…
Mãe: Então vai ter que começar a parar de comer tanta bolacha com leite… haha

Whew… por pouco não?

Bom… prosseguindo mais um pouco, até uns 14 anos. Esse tempo todo eu me torturei com aquele pensamento de “isso é errado, mas é só uma fase”. Até que resolvi andar com uns caras + pegadores e tentar beijar algumas garotas na porta da escola, à tarde… Bom… Não durou muito tempo… Uns 2 beijos depois eu entrei numa fase difícil, em que eu me isolei de tudo e de todos, tirando alguns amigos, e me concentrei nos estudos… “Assexuei-me” completamente até os 16 anos, que foi a época que tive acesso à internet em casa, pois até então só tinha usado LAN Houses…

Tirando os jogos, eu às vezes pesquisava um pouco de pornografia e talz… até que estava entrando só na seção gay nos “porno tubes” da vida… Um belo dia caí na besteira de baixar um vídeo… E como o PC era do meu tio… ele viu e contou à minha mãe.

Mãe: seu tio me contou que você baixou um filme pornô gay no computador dele… Isso é verdade?
Filhote: sim, mas…
Mãe: Filho, você é gay? (1ª vez)
Filhote: … Não, mãe… foi só um engano besta… Achei que fosse um anime e baixei… Confundi o nome… E não dava pra ver a preview do vídeo no site…
Mãe: Preview? Que isso?… *trechos desinteressantes*

Mais tarde… numa conversa informal pós-churrasco… Estávamos num assunto sobre homossexualidade e outras coisas, pois descobriram que um primo distante meu era gay. Já tinha meus 17 anos.

Mãe: … Ah… sei lá como eu reagiria se isso acontecesse comigo.
Tia 1: Bom, Mãe, você teria que reagir normalmente, né? Afinal, é seu filho. Fico com pena daquelas mãe que enxotam os filhos assim que descobrem o que os filhos são.
Tia 2: Você fala isso porque não é seu filho. Duvido que você aceitaria…
Tia 1: Claro que aceitaria… eu acho…
Mãe: Bom, eu não preciso me preocupar, mas vou fazer o teste. Filho, você é gay? (2ª vez)
Filhote: (WHY IN THE HELL ELA ESTA PERGUNTANDO ISSO PRA MIM????!!!) *cara hiper-supresa* … Eu? Claro que não! E mesmo se fosse, não contaria agora no meio de todo mundo… *vai pra casa*

Mais impreciso, impossível né?

Bom… a partir daí fiquei bastante paranóico com o que eu fazia no PC, já que tinha o meu próprio. Não deixava minha mãe ver minhas conversas, nem ver o que eu estava lendo. Pra ela, eu só mexia pra fazer trabalho, assistir desenho e jogar. Até que surgiu esse maldito personagem nessa novela xexelenta. E depois da confissão dele… Ha! Meus problemas só pioraram, pioraram… pioraram…………. Até que ontem, 2 e pouca da manhã, eu com fone no ouvido, vendo sacanagem na internet… não escuto minha mãe levantar do quarto dela e abrir a porta, que dá direto pra sala. Guardei minhas “coisas”, dei Esc e desliguei o monitor…

Mãe: credo! Que é que você tava fazendo aí que não posso ver? Tá parecendo o Gerson já!
Filhote: *imóvel, mudo, com cara de WTF, misturado com OMG*

Minutos depois, eu fui dormir.

No café da manhã de hoje, o assunto veio à tona quando minha irmã saiu da mesa.

Mãe: Eu ainda não entendi o que você tanto esconde naquele computador…
Filhote: Só minhas conversas, meus vídeos…
Mãe: E precisa dar uma de Gerson pra esconder isso? Tô ficando preocupada…
Filhote: Não é nada, mãe… É que só quero ter privacidade…
Mãe: Humm… tá… Por acaso você é gay e não quer me contar? (3ª vez)
Filhote: Não, mãe, não é isso…
Mãe: Olha, seja o que for que você tá escondendo, é chato você fazer isso. Poxa vida, a gente mora na mesma casa e você não compartilha nada comigo? Parece que estou vivendo com um completo estranho!
Filhote: Mãe, não precisa de tanto drama…
Mãe: Filho, você tem que entender que eu sou sua mãe, e que não precisa esconder nada de mim. Não importa o que seja, você vai continuar a ser o meu filho e eu vou continuar te amando como sempre te amei…
Filhote: *silêncio* (oh shit… apelou…)… Mãe, quer saber de uma coisa?
Mãe: O quê?
Filhote: Eu sou gay. *murmurando*
Mãe: Eu desconfiava… *murmurando*

*hugs*

Eu juro… juro… juro que não imaginava que seria tão de boa assim. Acho que isso, pra mim, foi tão melhor do que ganhar na loteria… Tirou-me um peso gigantesco das costas… E apesar da minha mãe ainda se preocupar comigo mais ainda, ela está feliz porque eu fui sincero com ela… Mas ela tem que aprender muito… muito mesmo… Acho que vou apresentar o Mãe, Sou Gay pra ela mais cedo do que eu esperava, já que ela até me perguntou se não havia nenhuma mãe de filho gay aí pela internet que tivesse um site… Custa nada né?

Bom… assim me despeço dessa minha fase de esconder as coisas e partirei pra sinceridade. Meu “closet” era somente a minha mãe. O resto eu não tenho vontade de contar. Se descobrirem, não fui eu que contei, e se descobrirem… pra mim não faz a menor diferença. Minha mãe era quem realmente importava e quem continua importando.

Jovem Urso

P.S.: Pelo visto, mesmo eu detestando o Natal e querendo me juntar ao Lobo, ao Voy e ao Braccini no “Manifesto Anti-Natal” (XD), o Ursão Noel foi generoso comigo no presente, apesar do atraso… hehe





Natal com a família? TO THE HELL!!

25 12 2010

Como eu gostaria te ter dito tais palavras e realmente ter tacado fogo na árvore de natal. Já estou bastante farto dessa “tentativa” de reunir a família… É sempre assim… Aquelas mesmas piadas sem graça, as mesmas risadas sem graça… Caramba! Será que as pessoas não enjoam não?

Sei lá… pra mim o Natal não é só mais um motivo pra ficar em família por obrigação. Acho que só deve ser comemorado em família quando a maioria das pessoas está realmente disposta a participar, e desta vez, ninguém estava realmente disposto. O sogro de uma das minhas tias estava bem doente, tinha acabado de sair do hospital e o coitado estava lá… No meio da festa, tiveram que levá-lo para casa. Todo mundo estava preocupado com ele. Tadinho, não precisavam tê-lo trazido até lá. Ele realmente estava mal. Não estava conseguindo comer a comida e tal. Como disse uma das minhas tias, “estava parecendo um bebê”, pois quando ofereceram leite a ele, tomou. Pergunto: Natal é dia de forçar um senhor de 80 e tantos anos a sair de casa quando deveria estar descansando?

Natal é época somente de comilança também? Pois eu só vi as pessoas unidas na hora de fazer a fila pra fazerem os pratos, como num lindo self-service familiar. Tudo bem que eu desfrutei dessa parte, mas será que isso realmente importa? Comer quilos e quilos de comida? Não sou a pessoa mais caridosa do mundo, mas penso que tem muita gente por aí que gostaria de ter um Natal c/ um prato de comida pra comer. E não estou sendo hipócrita, estou só questionando o verdadeiro motivo da festa de Natal da minha família…

Enfim… não tenho mais clima pra ir não… Sinceramente espero que no ano que vem eu tenha algo mais interessante pra fazer. Quero mais é ficar com quem eu realmente quero estar…

Ou então, simplesmente, não vou à festa e fico em casa caçando o que fazer.

Bom… Feliz Natal pra quem é disso… Sem mais,

 

Jovem Urso





Epic Fail Day ¬¬ – Adendo

18 12 2010

E a minha mãe acha que estou bravinho só pra ela  não me encher o saco porque não fiz nada em casa… PORQUE EU ESTOU MUITO PUTO!

Incompreensão WINS!

 

Jovem Urso





CUB IN FURY!!!

3 12 2010

Aiai… o verão se aproxima e o calor do qual tanto gosto já chegou anunciando como serão os próximos 4 meses… Adoro mesmo ficar em casa, descamisado, com um ventilador ligado na minha cara, tomando água gelada o tempo todo. E adoro mesmo, não é ironia. Esse é o meu sonho de verão… Ninguém me incomodando, só eu relaxando e curtindo o calor, a água fresca, o meu “fogo” aumentado… É uma pena que isso nunca acontece!!! Hoje mesmo já me aporrinharam o suficiente pra aporrinhar uma pessoa durante uma semana… Puta que pariu, viu!!!!!!!!!

Detesto… simplesmente detesto, odeio, abomino qualquer tipo de gritaria sem motivos ou por motivos dúbios. E ultimamente é o que tem de monte aqui em casa. Minha pirralha irmã parece que está entrando em crise de adolescente antes da hora… Quer atenção e mimos, mas ao mesmo tempo não quer, e quando os quer, é sempre na hora em que minha mãe não pode atender. O problema é o seguinte… minha mãe é, em situações normais, uma pessoa extremamente paciente, entretanto… se começam a aborrecê-la por coisinhas desse tamanho [.]… Dá merda… Cara… você sabe o que é ir dormir cedo numa quarta-feira, depois de um semestre estressantérrimo e acordar às 6hrs da manhã ouvindo os berros da sua mãe com a sua irmã porque a última não quis de jeito maneira vestir uma calça x? Puta que o pariu… puta que o pariu… PUTA QUE O PARIU!!!!!!!!!!!!!! Tudo bem que é um comentário egoísta, mas eu pretendia dormir até as 10… Depois da última semana de trabalhos e provas… não mereço um descansinho???

Outra coisa… dizem que, na família, deve haver união e interdependência. Acho que na minha só deve ter desunião e dependência…

Gahh… aqui não é lugar de lavar roupa suja… não preciso encher meus leitores com idiotices da minha família… x)

Termino aqui meu desabafo.

Jovem Urso (<<< new signature! \o/)





Escondendo o jogo

24 10 2010

Eu nem estava realmente inspirado pra postar hoje, mas diante das circunstâncias… Eu sou obrigado a fazê-lo, mesmo que rapidamente.

Fiquei abismado com a eficiência de minha camuflagem, mais uma vez… Já comentei num post anterior o quanto de risadas isso me rendeu, mas hoje foi demais…

Estava eu, no quintal da minha casa, cometendo uma gordice básica que é se esbaldar no churrasquinho em família, tranquilamente… Quando me aparece uma tia-avó chatíssima que adora (com ênfase no “adora”) chegar na casa dos outros bem na hora do almoço… Eu detesto mortalmente quem faz isso, porque interrompe o meu ritual de comilança, mesmo que não esteja cometendo gordices. Ora, refeições são sagradas, deve-se ter paz e sossego enquanto se come, não?… Enfim, chegou essa minha tia-avó acompanhada de uma das irmãs, ou seja, duas tias-avós.  A outra até que era gente boa, mas vamos em frente. Papo vai… papo vem… algumas “historinhas de pescador” contadas e tal… Essa minha tia chata começa a conversar comigo:

– Eeeee, Filhote, e essa barba cheia aí? Não vai tirar?

– Não, eu gosto assim. Vou só aparar com máquina 2 daqui por diante e acertar o contorno – respondi prontamente.

– Hummm… Você tá parecendo que tem uns 25 anos, não 18. *faz cara de bosta*

– Pois é… Essa é a intenção, parecer mais velho. *faço cara de “hummm, é mesmo?”*

– Você tá é caçando mulher mais velha né? Querendo parecer mais velho desse jeito só pode estar caçando velha por aí.

Todo mundo olhou pra minha cara e eu fiquei com aquela expressão de “affe, você não disse isso”.

Ééééé… Camuflagem tensa… Me senti um ninja hoje…

Bom… fico por aqui, até mais! o/

Filhote Solitário





Distanciamento…

13 10 2010

A cada dia que passa, eu não me sinto mais parte da minha família. Por quê? Não aguento mais tanta gritaria e tanta desordem por causa de coisas poucas. Dizem que família é assim mesmo, mas eu não me acostumo. Não tenho mais paz dentro da minha própria casa. Todos os dias tenho que conviver com os gritos da minha mãe com a minha irmã… E olha que minha irmã só tem sete anos. Está crescendo tão estúpida e tão sem freios quanto o tio dela foi quando pequeno… Ainda bem que esse já se mudou do quintal… Era um bom amigo pra certas coisas, mas era uma pessoa horrível no geral. Temo que esse seja o destino da minha irmã. Ela é prepotente e “boca-dura”, E SÓ TEM SETE ANOS…

Creio que meu tempo dentro dessa casa esteja se esgotando, pouco a pouco. Quero ter o meu apartamento pra poder viver minha vida em paz e sem ter que esconder de ninguém quem eu sou. Sinto-me angustiado toda vez que tenho que parar para medir palavras, de modo que minha máscara não caia… O pior é que essa angústia não cessa… Do contrário, ela cresce… Cresce toda vez que me vejo num ambiente livre e que posso ser quem eu sou de verdade e não preciso esconder-me dentro de facetas para agradar os outros… Acho que devo ser um imbecil por ter achar que tenho que agradar os outros, mas eu tenho que manter as relações estáveis por aqui, ou pelo menos tentar, pois as coisas não estão nada estáveis por aqui… Problemas financeiros, problemas familiares… É… vou levando a minha vida, que já não é muito simples, aos trancos e barrancos pelos quais a minha família passa…

Quero me libertar de tudo isto! Quero sim, e quero muito!!… Mas parece tão distante, tão onírico… Essa história de me libertar… Hah! Sinto-me pensando como um revolucionário francês no século XVI. Desejo um mundo melhor pra mim, um mundo livre, um mundo onde eu possa mandar em mim…

Na verdade, por trás dessa revolução de palavras… Eu acho que só quero me ver longe da minha família… Por mais doloroso que seja. É… preciso partir, partir pra longe e começar minha vida sem que seja controlado pelas rédeas de tradição e superstições impostas por eles…

Sei que estamos em outubro ainda e faltam 2 meses para que o ano acabe, mas… 2011 promete…

 

Filhote Solitário








%d blogueiros gostam disto: