Natal com a família? TO THE HELL!!

25 12 2010

Como eu gostaria te ter dito tais palavras e realmente ter tacado fogo na árvore de natal. Já estou bastante farto dessa “tentativa” de reunir a família… É sempre assim… Aquelas mesmas piadas sem graça, as mesmas risadas sem graça… Caramba! Será que as pessoas não enjoam não?

Sei lá… pra mim o Natal não é só mais um motivo pra ficar em família por obrigação. Acho que só deve ser comemorado em família quando a maioria das pessoas está realmente disposta a participar, e desta vez, ninguém estava realmente disposto. O sogro de uma das minhas tias estava bem doente, tinha acabado de sair do hospital e o coitado estava lá… No meio da festa, tiveram que levá-lo para casa. Todo mundo estava preocupado com ele. Tadinho, não precisavam tê-lo trazido até lá. Ele realmente estava mal. Não estava conseguindo comer a comida e tal. Como disse uma das minhas tias, “estava parecendo um bebê”, pois quando ofereceram leite a ele, tomou. Pergunto: Natal é dia de forçar um senhor de 80 e tantos anos a sair de casa quando deveria estar descansando?

Natal é época somente de comilança também? Pois eu só vi as pessoas unidas na hora de fazer a fila pra fazerem os pratos, como num lindo self-service familiar. Tudo bem que eu desfrutei dessa parte, mas será que isso realmente importa? Comer quilos e quilos de comida? Não sou a pessoa mais caridosa do mundo, mas penso que tem muita gente por aí que gostaria de ter um Natal c/ um prato de comida pra comer. E não estou sendo hipócrita, estou só questionando o verdadeiro motivo da festa de Natal da minha família…

Enfim… não tenho mais clima pra ir não… Sinceramente espero que no ano que vem eu tenha algo mais interessante pra fazer. Quero mais é ficar com quem eu realmente quero estar…

Ou então, simplesmente, não vou à festa e fico em casa caçando o que fazer.

Bom… Feliz Natal pra quem é disso… Sem mais,

 

Jovem Urso





Vingança

20 12 2010

Parece que o Destino tem me pregado algumas peças nos últimos tempos. Eu não ligo, porém demorei um longo período até que não ligasse mais pra isso. Talvez a tal armadura da qual eu me orgulhe tanto tenha se tornado tão grossa que eu seja imune a qualquer coisa que tente me atingir, seja ela ruim ou boa.

Mas mesmo assim… Eu me sinto bem. Não tenho raiva do dito Destino. Agradeço a ele por ter me ajudado a me tornar quem eu sou e por ainda estar me ajudando a mudar coisas necessárias dentro de mim. Tenho muito o que viver, todavia creio que as mudanças que vêm ocorrendo dentro de mim… estejam todas acontecendo rápido demais, mesmo eu querendo ter um ritmo de vida mais lento, pra poder aproveitar tudo o que o mundo tem a oferecer…

Ha… Provavelmente eu esteja me enganando por lamentar que as mudanças ocorreram muito velozmente. Ora, afinal de contas, isso me dá tempo pra viver mais livremente esse meu “auge”, se é que posso chamar esse estado dessa forma.

No entanto, embora não seja vidente, posso prever que isso me ajudará no futuro. Tudo as peças que o Destino me pregou ao longo desses anos, como eu já disse, só me tornaram mais fortes e, quando a hora certa chegar, poderei me vingar com louvor dessa “insólita sina”. Nada mais de isolamento por falta de dinheiro, de assunto, de vivência e, principalmente, de experiência. Experiência… Essa foi a maior peça que o Destino já me pregou… Quantas vezes eu já me perguntei “porra, por que eu fiz isso?” e a resposta sempre foi “por falta de experiência!”? E mesmo reclamando dessa deficiência, eu não posso fazer nada a não ser viver e ir acompanhando as modificações que se fazem dentro de mim, utilizando a parte metódica, fria e calculista de uma das minhas personalidades para planejar cautelosamente o meu “plano infalível”, que mesmo assim estará sujeito a ser alterado pelos hábeis dedos do Destino.

Bom… não posso nem perguntar se vai demorar muito até que eu adquira a abençoada experiência, logo que cada parte de mim vai evoluindo de maneira independente… Então… só me resta viver o que está destinado a mim e ir burlando as regras e pegando atalhos necessários nessa “longa estrada da vida”. Ah, e lembrando que julgo alguns atalhos necessários, pois convenhamos… Tem momentos na vida em que é imprescindível o uso do famoso jeitinho brasileiro, hehe.

Deixo aqui uma música que gosto muito quando é cantada pela Fernanda Abreu. Não sou religioso, mas essa oração cantada desse jeito, ficou ótima.

É Destino… vingarei-me de você… Quer você queira ou não [/coolface].

Jovem Urso

P.S.: “Destino” com a primeira letra maiúscula não é uma analogia a “Deus”, “Alá” ou qualquer nome que dão à “entidade suprema criadora do mundo”. Como disse algum amigo blogayro em algum post… “prefiro ainda acreditar num Deus ursão e boa gente que vai estar lá em cima pra nos receber, conversar e dar as broncas necessárias”, ou algo assim. O Destino, para mim, é quem nos move e quem nos impede de mover. Detalhe, não sou de nenhuma seita oculta não, é só a minha interpretação do mundo espiritual. /fikdik





Epic Fail Day ¬¬

18 12 2010

É… hoje foi um dia extremamente falho… Detesto quando dias assim acontecem, taqueopariu… E geralmente acontecem por causa de uma sucessão de erros cometidos por mim e interrupções nos meus afazeres… Tinha planejado um dia… aconteceu outro completamente diferente, pelamor. Tudo bem, coisas adversas sempre acontecem, mas caramba… Várias no mesmo dia?? E olha que eu não estou andando com Murphy…

Tentativas sucessivas de fazer algo produtivo no meu jogo… FAIL
Tentativas de arrumar a casa… FAIL
Tentativas de dormir à tarde… FAIL
Tentativas de comprar coxinha à noite em paz… FAIL!!!!!
Tudo… FAIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O pior é que isso consome grandemente as minhas energias… Meus pensamentos ficam turvos, mas um bilhão deles passam pela minha cabeça e e eu não consigo me concentrar em nenhum. Fico paranóico e agressivo… Não gosto disso.

Acho que vou dormir cedíssimo… Só espero que pra melhorar os meus raríssimos pesadelos não aconteçam de novo…

 

Jovem Urso





A Saga do Filhote Solitário – Parte 3

29 11 2010

Bom, cá estou eu novamente, mas não pra falar de mim, nem do Pianista. Vim aqui registrar, mesmo que atrasado (como sempre), a minha revolta para com a homofobia declarada pelo chanceler da universidade onde estudo. Sim, eu estudo no Mackenzie. E não, eu não estava no meio da manifestação. Primeiro porque não sou assumido, como sabem. Segundo, não sou o tipo de cara que é militante gay ativamente. Dou meu apoio e tal, mas eu mesmo prefiro não me envolver nessas manifestações. Talvez seja porque sou novo no mundo gay e não sei muito bem das coisas, ou talvez seja porque não me identifico com os métodos adotados até hoje. Não sei se já comentei, mas eu não concordo com a existência da Parada Gay da forma como ela é hoje, só que isso é assunto pra outro post… Prosseguindo…

Fiquei altamente revoltado com essa publicação no site do Mackenzie. Porra, parecem que não entendem que não é só a administração da universidade é que é responsável pela imagem dela? Esquecem que o corpo discente também tem uma opinião própria e nem sempre concorda com a opinião da administração. Foi um erro imenso ter redigido tal comunicado. Não acho errado cada um exprimir a sua opinião, afinal estamos num país dito democrata e liberal. Sei que a igreja presbiteriana é contra o homossexualismo, sei de tudo isso, mas… Custa certas pessoas ficarem de boca calada?? Enfim… fica aqui a minha indignação.

Agora… apesar de que eu disse que não ia falar de mim, num primeiro momento, mas eu vou falar dos últimos acontecimentos no meu curso…

Cara… eu faço faculdade de Desenho Industrial… olha só o que me acontece bem no final do semestre… Perdi minha pasta A3, com TODOS os meus trabalhos que tinha feito da 2ª metade do semestre pra cá. Fora que foram-se réguas, esquadros, blocos de papel e etc…  Fiquei desconsolado e não sabia o que fazer… Só depois que tive a ideia de ir procurar a professora de Desenho, disciplina que perdi a maioria dos trabalhos. Felizmente ela me deu um prazo maior pra entregar os trabalhos… Na sexta-feira, entreguei 4 dos 6 trabalhos, e fiquei com notas relativamente boas, =D.

Tinha, ainda, 2 trabalhos maiores a serem apresentados. Um de Ética e um de História da Arte. O de Ética era uma animação, e eu lhes falo… Designers e futuros designers que me lêem… não substituam uma apresentação de slides por uma animação quando você não tem tempo suficiente pra fazer… Deu tudo certo, no fim das contas, com muitas correrias… Suicida isso…

Mais suicida foi nosso trabalho de História da Arte. Foi feito em uma semana, e era justamente sobre o suicídio… hahaha. O resultado final foi brilhante, apesar do prazo curto. Certamente a professora ficou maravilhada com nossa construção interativa de isopor pra sustentar os nossos vitrais góticos com a temática do suicídio segundo Émile Durkheim.

Agora tenho só uns trabalhos menores a serem feitos… E tentarei fazer postagens mais constantes e interessantes. Desculpem-me se o post não foi lááááá essas coisas, mas eu simplesmente senti que devia ser escrito, =)

 

Filhote Solitário





Camuflagem

2 10 2010

Às vezes eu agradeço muito por essa minha camuflagem natural que me permite transitar pelo meio hétero sem desconfiarem que sou gay. Outras vezes eu não sei se isso é tão bom assim. Tem vezes que a máscara dá uma coçadinha e quer cair… Gostaria de viver num meio mais gay, mas sei que ainda preciso de muita vivência pra construir o meu próprio meio gay. Fazer amigos, frequentar alguns lugares, ter um ursão ao meu lado… Tenho vários passos a cumprir…

Bom, apesar do incômodo da máscara, o lado bom da camuflagem é que dou muita risada sozinho. MUITA mesmo. Tem héteros que nem desconfiam que um cara que se comporta normalmente, sem aqueles trejeitos afeminados, pode ser gay. Aliás, eu tenho algumas caras e bocas que, volta e meia, me denunciam pra alguns que tem o olhar mais aguçado, porém sempre acabo passando despercebido. Fico muito besta de ouvir meus amigos falando que nunca conviveram com um gay e acham que seria uma pessoa que tem o jeito muito parecido com uma garota, mas com mais chatices, frescuras e não-me-toques. Mal sabem eles que tem gays que são menos frescurentos do que os próprios héteros… hahahahaha

Aiai… é por essas e outras que eu fico feliz em ser um bear muito do feliz… Bom, poderia ser mais… só que eu não preciso repetir o que me falta. heh

Filhote Solitário





Fúria desorientada

29 09 2010

RRRRRRAAAAAAAAAAAWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!

Estou com uma vontade de rugir… Rugir MESMO! Que nem uma fera bestial e descontrolada! Não me interpretem mal. Não estou querendo dar uma de “bicha histérica” e sair gritando por aí. Nos últimos dias, o pessoal tem me tirado do sério. Não estou afim de dar satisfações. Não estou afim de piadinhas. Não estou afim de que me questionem. Estou afim de que me deixem em paz, pelo menos por uma semana!!!!! E não estou falando isso porque estão me pressionando a dizer que sou gay nem nada. Digo isso tudo porque gostaria de ficar a sós com meus pensamentos para colocá-los no seu devido lugar. A faculdade me atrapalha, mas nem tanto quanto minha mãe. Oh, shit… Parece que ela deu pra questionar tudo o que eu falo, ter um contraponto pra tudo o que eu digo. EU SEI que ainda sou imaturo pra compreender uma série de coisas que estão ao meu redor.

“Ah tá, um ‘adultescente’ que sabe que é imaturo… essa é boa…!”.

Sim, caro leitor, eu sei que sou imaturo, principalmente porque me auto-conheço muito bem. Eu sei que sou maduro pra lidar com uma situação quando faço as coisas calma e calculadamente, quando tenho domínio da situação ou do contexto específico. Acredito que isso seja ser maduro. Ter domínio, saber o que está fazendo. Em muitos momentos da minha vida atual, eu vejo a imaturidade nua e crua. Não faço ideia da sinuca de bico em que estou me metendo. Foi assim quando aceitei minha homossexualidade, achando que ia ser oba-oba por ter me aceitado, quando decidi procurar um namorado pela internet, quando decidi escolher uma faculdade que se situa num universo completamente diferente do meu. Muitas vezes, eu me sinto perdido e furioso, e o pior é que me sinto um pouco desamparado. Nessas horas eu sinto falta da figura masculina dentro de casa, mas… whatever… Agora estou em busca de outra figura masculina, se é que me entendem. Sei que, provavelmente, não vai ser capaz de preencher a lacuna completamente, contudo, se eu tiver um homem forte em quem eu possa me amparar, frisando o sentido da palavra “amparar” em “ajudar, auxiliar, dar conselhos” e não “amparar” de “oferecer um ombro amigo pra chorar as pitangas”.

Enfim, acho que esse desabafo não passa de uma revolta por falta de um abraço gostoso de um macho e um cafuné, ou seja… carência…

Filhote Solitário





Espelhos e escolhas

22 09 2010

Talvez essa seja a escolha errada, ou talvez seja a certa e eu ache errada, mas olhando pra dentro de mim… Creio que seja a melhor escolha a se fazer. Acho que o armário é um lugar bastante confortável. However, eu não esconderei que sou gay, caso me perguntem. Acredito que os outros não precisam ficar sabendo publicamente até que perguntem, a não ser as pessoas pelas quais realmente estimo e que não sabem da minha condição.

Acho curioso como meus colegas da faculdade são bem ceguetas. Desconfiam que as pessoas erradas sejam homossexuais. Que tolinhos… Só porque não me pareço c/ uma drag queen, não quer dizer que não seja um. E o pior é que sei que eles pensam mais ou menos assim. Se contasse abertamente pra eles, acho que cairiam duros no chão, hahahaha

E quanto a esse lance de “as aparências enganam”, eu acho que minha camuflagem anda meio falha. Desde que saí do armário pra algumas pessoas, eu mesmo me vejo bem óbvio para que os outros percebam e… (não que eu ache errado) não me sinto bem assim. Prefiro continuar no anonimato e ser feliz assim, apesar das críticas que acabam fazendo aos homossexuais… Hmmm… Acabei de pensar algo diferente… Ficar no anonimato ATÉ QUE o assunto do papo/conversa/roda de amigos me atinja. É hipocrisia continuar escondido só pra se proteger e não ligar pro que falam de ruim na sua frente sobre você ou sobre algo que você é.

Como disse, antes eu tinha medo que soubessem da minha homossexualidade, agora estou pouco me lixando pro que dizem. Só me importo se uma pessoa realmente querida se afastar de mim por conta disso, caso contrário…

Ahhh, outra coisa. Ultimamente andei olhando algo sobre o chamado “Movimento GLBT” ou whatever… Creio que a mídia deturpa muitas das ideologias que eles tem (óbvio, é a única coisa que a mídia faz…). Concordo com várias delas, porém não concordo em ficar ostentando bandeiras por aí, fazendo paradas gays a torto e a direito. Fico pensando… que é isso?? Micareta gay? (sim, pois no dia seguinte o que mais se vê nas ruas são camisinhas e mais camisinhas, misturadas c/ penas de boá) Acho que isso sim prejudica a imagem que têm de nós. Eu me orgulho de ser gay, mas não pisaria numa “parada do orgulho gay”. Pode ser um pensamento individualista, mas é o que eu acho. Daqui a alguns anos pode ser que isso mude e que o simbólico “orgulho gay” que ostentam por aí se torne uma manifestação menor e cultural, como é o caso da “consciência negra”, que também é um movimento expressivo de outra parcela da população que foi seriamente prejudicada e alvo de preconceitos.

Acho que vou ficando por aqui, meus pensamentos estão ficando confusos e preciso fazer trabalhos da faculdade. See ya’ll!

Filhote Solitário








%d blogueiros gostam disto: