Epic Fail Day ¬¬ – Adendo

18 12 2010

E a minha mãe acha que estou bravinho só pra ela  não me encher o saco porque não fiz nada em casa… PORQUE EU ESTOU MUITO PUTO!

Incompreensão WINS!

 

Jovem Urso

Anúncios




Epic Fail Day ¬¬

18 12 2010

É… hoje foi um dia extremamente falho… Detesto quando dias assim acontecem, taqueopariu… E geralmente acontecem por causa de uma sucessão de erros cometidos por mim e interrupções nos meus afazeres… Tinha planejado um dia… aconteceu outro completamente diferente, pelamor. Tudo bem, coisas adversas sempre acontecem, mas caramba… Várias no mesmo dia?? E olha que eu não estou andando com Murphy…

Tentativas sucessivas de fazer algo produtivo no meu jogo… FAIL
Tentativas de arrumar a casa… FAIL
Tentativas de dormir à tarde… FAIL
Tentativas de comprar coxinha à noite em paz… FAIL!!!!!
Tudo… FAIL!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

O pior é que isso consome grandemente as minhas energias… Meus pensamentos ficam turvos, mas um bilhão deles passam pela minha cabeça e e eu não consigo me concentrar em nenhum. Fico paranóico e agressivo… Não gosto disso.

Acho que vou dormir cedíssimo… Só espero que pra melhorar os meus raríssimos pesadelos não aconteçam de novo…

 

Jovem Urso





Inspirações – III

15 12 2010

Pássaro Errante

É mais uma noite de festa no litoral… Eu só quero saber de me divertir, como sempre. Bom… não se há muito o que fazer quando se é belo, simpático e todos requisitam sua presença. Apesar disso, não me incomodo com esse assédio. Sinto-me bem, muito bem. Tão bem que posso circular pelo pier sem medo de olhar nos olhos de qualquer cara que está a dançar e arrancar um sorriso de seus lábios.

Mas sempre que avisto um que não sorri… logo invisto, como uma fera indomável que nunca se satisfaz com o que já tem.

Olhares, uma meia conversa jogada fora, outra meia conversa de sacanagens, meu nome, nome dele, aproximação, beijo, despedida, sorriso. Um ciclo repetitivo a toda balada. Talvez estivesse me enchendo daquilo, talvez tivesse me acomodado, mas eu me sentia vazio, como um objeto que só servia para alegrar os outros… ou eu me sentia importante, pois trazia a alegria pros outros?

Questionava-me todos os dias quando me atirava do pier no meio da balada, para atrair a atenção de todos. Desespero, suspiros, choro, risadas… Nunca existia a indiferença para mim. Nunca queria que existisse isso. Entretanto, eu não percebia que eu não estava nem aí pra eu mesmo. Existia para os outros, só e somente pros outros…

Quando voltava pra casa, com o raiar do sol no mar, minhas roupas molhadas, meu cabelo desengrenhado e uma vontade imensa de me deitar em qualquer canto, eu podia ouvir um músico em algum lugar do caminho a tocar uma melodia triste. Era um instrumento estranho. Não entendia de música, senão eletrônica… mas era um instrumento muito distindo. Suas notas ecoavam ao vento de uma maneira única e chegava sutilmente aos meus ouvidos. Sentia-me, então, como um pássaro errante e solitário, mas belo… muito belo…





Fúria desorientada

29 09 2010

RRRRRRAAAAAAAAAAAWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWWRRRRRRRR!!!!!!!!!!!!

Estou com uma vontade de rugir… Rugir MESMO! Que nem uma fera bestial e descontrolada! Não me interpretem mal. Não estou querendo dar uma de “bicha histérica” e sair gritando por aí. Nos últimos dias, o pessoal tem me tirado do sério. Não estou afim de dar satisfações. Não estou afim de piadinhas. Não estou afim de que me questionem. Estou afim de que me deixem em paz, pelo menos por uma semana!!!!! E não estou falando isso porque estão me pressionando a dizer que sou gay nem nada. Digo isso tudo porque gostaria de ficar a sós com meus pensamentos para colocá-los no seu devido lugar. A faculdade me atrapalha, mas nem tanto quanto minha mãe. Oh, shit… Parece que ela deu pra questionar tudo o que eu falo, ter um contraponto pra tudo o que eu digo. EU SEI que ainda sou imaturo pra compreender uma série de coisas que estão ao meu redor.

“Ah tá, um ‘adultescente’ que sabe que é imaturo… essa é boa…!”.

Sim, caro leitor, eu sei que sou imaturo, principalmente porque me auto-conheço muito bem. Eu sei que sou maduro pra lidar com uma situação quando faço as coisas calma e calculadamente, quando tenho domínio da situação ou do contexto específico. Acredito que isso seja ser maduro. Ter domínio, saber o que está fazendo. Em muitos momentos da minha vida atual, eu vejo a imaturidade nua e crua. Não faço ideia da sinuca de bico em que estou me metendo. Foi assim quando aceitei minha homossexualidade, achando que ia ser oba-oba por ter me aceitado, quando decidi procurar um namorado pela internet, quando decidi escolher uma faculdade que se situa num universo completamente diferente do meu. Muitas vezes, eu me sinto perdido e furioso, e o pior é que me sinto um pouco desamparado. Nessas horas eu sinto falta da figura masculina dentro de casa, mas… whatever… Agora estou em busca de outra figura masculina, se é que me entendem. Sei que, provavelmente, não vai ser capaz de preencher a lacuna completamente, contudo, se eu tiver um homem forte em quem eu possa me amparar, frisando o sentido da palavra “amparar” em “ajudar, auxiliar, dar conselhos” e não “amparar” de “oferecer um ombro amigo pra chorar as pitangas”.

Enfim, acho que esse desabafo não passa de uma revolta por falta de um abraço gostoso de um macho e um cafuné, ou seja… carência…

Filhote Solitário








%d blogueiros gostam disto: