A Saga do Filhote Solitário – Parte 1

20 11 2010

Créditos a lukey120292, autor da imagem e membro
do forum ConceptArt.org.

Estou de volta! Depois desse longo tempo longe do blog… Nossa… estava com muita vontade de postar aqui, mas eu tinha que me manter longe porque tinha um porrilhão de coisas a estudar e a fazer então… Peço que me perdoem, xD

Mas o bom é que ter ficado um tempo sem blogar me deu uma certa empolgação pra postar agora! Tenho tanta coisa pra contar… Enfim, vamos começar pelo princípio!

Vejamos… desde o dia 3 tive algumas surpresas e desavenças com o pessoal da facul. Não briguei feio, mas me segurei pra não brigar… Putz… Sabe num desses dias em que você não quer ser incomodado e insistem em te incomodar? Eu estava com um mau humor danado porque eu tive insônia à noite, coisa rara de acontecer. Estava muito calor e eu estava pensando em alguém… Não consegui pregar o olho a noite toda. De dia estava parecendo um zumbi, e o pior é que tinha de ir à facul + cedo pra tentar ensinar aos caras como usar uma ferramenta do Flash. Deu o maior rolo, porque não estava conseguindo me concentrar pra fazer a porra da explicação, daí começaram a me zoar, me encher o saco e tal. Normalmente seria o tipo de coisa que eu relevaria. NORMALMENTE. Quando eu estou de mau humor porque estou com sono ou com fome… imagina um urso mau humorado. Pois é, eu sou o projetinho desse urso. Fico sem paciência nenhuma pra nada e muito menos pra piadinha sem graça. Ou seja, deu merda. Fiquei de cara feia e chateado porque diversas vezes eu “pedi pra sair” e não me deram ouvidos.

Todavia… esses meus amigos ainda me rendem boas risadas. E não porque são realmente engraçados, mas às vezes começam a falar de uns assuntos que eu tenho que ficar bem quietinho pra não assustar ninguém. Esses dias começaram a falar dos diferentes tipos de “viado” que eles já viram por aí. Eu tava com uma vontade incontrolável de me mostrar o sabichão e contar +, mas… o que eu não faço pra ficar no armário…

Uma amiga minha disse que uns anos atrás foi pra São Vicente e lá tem um lugar GLS, administrado por uma lésbica, que bomba todo fim de ano. Um amigo dela levou ela pra dar um passeio lá dentro e ela disse que ficou impressionada com a quantidade de caras de mãos dadas que ela juraria que eram HT. Usando palavras dela: “caras com pinta de ‘mano’ de mãos dadas um com o outro… meu… isso foi inacreditável”. Imagino se ela tivesse só passado na frente do CineSesc nos dias em que tava passando Bear City… só dava ursão por lá. kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk…

Mas isso é uma história pra um próximo post que provavelmente virá amanhã ou depois… ^^





Vivendo e aprendendo

13 09 2010

Hoje, apesar de alguns acontecimentos e de outros pensamentos, estou feliz. Feliz porque fiz a escolha certa, com relação às dúvidas que tinha no último post. Acabei por não assumir que sou gay. Isso só traria mais um problema pra cabeça dos meus familiares e principalmente da minha mãe. Podem dizer: “Problema? Mas homossexualidade não é problema!”. Se vão achar que é um problema ou não, isso vai depender da hora que contar, e agora realmente não era uma boa hora para isso. Uma série de problemas familiares de desencadearam aqui de uma hora pra outra.

Minha mãe saiu do emprego dela, apesar de já ter outro em vista, com 100% de chances de ser contratada mesmo, mas a falta de grana a preocupa, pois, obviamente, ela é uma ótima mãe e se preocupa muito comigo e com minha irmã, principalmente quando a situação financeira está down.

Minha avó está com uma série de problemas de saúde, contudo ela não se cuida e por mais que minha mãe e meus tios tentem cuidar dela, recomendar que ela não saia tanto de casa, que não se esforce tanto, que peça ajuda quando necessário, ela não escuta. Eles resolveram meio que largar de mão, pois já que ela não quer a preocupação deles, então que ela fique lá. Não sei se é a escolha certa, porque desde essa “largada de mão” ela começou a dar mais problemas do que antes. Tenho certeza que apesar de não demonstrar, ela quer atenção, mas… whatever. Antes eu sentia vida nela, e de uns tempos pra cá já não venho mais sentindo. Acho que o tempo de vida dela tá chegando no final…

Bom, chega de assuntos tristes, afinal quis fazer uma confissão feliz. Nos últimos tempos tenho arranjado bastante amigos gays pra conversar, mesmo que seja só via internet. Por enquanto só conversar, hehe. E apesar de eu curtir mesmo os bears, eu não sei se o meu companheiro será um deles. Talvez possa ser um chaser ou admirer muito mais interessante.

Mas algo que constatei recentemente é que EU não sou muito interessante pra se namorar, heh… E não foi porque alguém me disse, foi uma reflexão mesmo. De todas as características que eu julgo necessárias para a manutenção de um relacionamento, eu tenho algumas poucas que sozinhas não significam muita coisa. Creio que as mais significativas para os bears não sejam aparência, nem idade, mas a questão de ser bem resolvido na vida, e principalmente os daddy-bears, que já, acredito, estejam mais do que resolvidos. Eu sou um tanto enrolado quanto a isso, pois tem a questão de eu ainda morar com a família, não ser independente financeiramente, não ter me assumido…

De qualquer forma, sabendo disso e sendo jovem ainda, eu ainda tenho muito o que absorver e viver pra me tornar um cara mais interessante. Enquanto isso, vou me contentando com meus sonhos. Li em algum lugar (mesmo que já saiba disso) que quanto mais se almeja algo com sonhos e paixão, melhor é o gostinho da conquista desse algo. ^^

Filhote Solitário








%d blogueiros gostam disto: